Domingo, 25 de agosto de 2019   
 
 
 
 

12 de julho de 2019

Ser voluntário no Brasil ainda é para poucos!

Iniciativas de empresas como a Pernod Ricard e seu Responsib’All Day
contribuem para tentar mudar essa realidade
 

Por Reinaldo Canto

O brasileiro é reconhecido por ser um povo amigável e solidário, mas quando se trata de dedicar algumas horas para atividades de voluntariado, estamos bem distantes dessa visão. Segundo pesquisa de 2018 realizada pelo IBGE 7, 4 milhões de pessoas ou 4,4% da população acima de catorze anos participou de alguma atividade voluntária, ou seja, realizou um trabalho não obrigatório de não menos que uma hora sem benefícios ou trocas, sendo que as mulheres são mais voluntárias (5,1%) do que os homens (3,5%) nesse total. Só para se ter um dado de comparação, mais de 14% da população dos Estados Unidos praticam o voluntariado, nada menos que dez pontos percentuais acima dos registrados em nosso país!

Para Rosângela Melato, consultora em gestão, especialista em voluntariado corporativo e diversidade da Mosai&co, há muito espaço para que esses números possam melhorar significativamente sendo que as empresas tem um papel muito importante para alavancar esse processo. Mas para ela é preciso estar atento a alguns aspectos fundamentais, “as atividades precisam dialogar com o core business da empresa, porque caso contrário pode ser um desestímulo para o seu colaborador que pode achar que está perdendo tempo ou negócios para fazer outra atividade. Voluntariado estrutura marca, contribui para ampliar as capacidades de seus funcionários e também para seu corpo gerencial. Isso precisa ser entendido por isso da importância da estreita relação com o negócio da empresa”.

FAZENDO A LIÇÃO DE CASA

A 9ª edição do Responsib’All Day cumpriu à risca o que estabelece as boas práticas do voluntariado. Realizado neste mês de junho pelos mais de 19 mil funcionários da Pernod Ricard (fabricante de bebidas como Chivas Regal, Ron Montilla e vodka Orloff) em 87 países, o projeto promoveu atividades ligadas ao conceito de economia circular e gestão de resíduos, ou seja, uma causa positiva e totalmente integrada aos negócios cotidianos da empresa.

E aqui no Brasil, a empresa literalmente parou em todas as localidades em que possui colaboradores, um total de 450 pessoas. Os mais de 200 da empresa, em São Paulo, foram até o Centro Paulus, no bairro de Parelheiros, região carente no extremo sul da capital paulista e participaram de atividades como workshops e oficinas que tinham como foco o desenvolvimento de novos produtos – com alto valor agregado – a partir de vidro reutilizado de garrafas vazias das marcas comercializadas pela empresa. As oficinas ministradas pela artista plástica Adriana Yazbek, pelo arquiteto Gustavo Calazans e pelo produtor orgânico Árpad Spalding trabalharam no desenvolvimento de peças como bijuterias, luminárias, bandejas, painéis e peças de revestimento, entre outros, produzidos pelos funcionários e, posteriormente, colocados à venda na região e o dinheiro arrecadado ficando disponível para apoiar os trabalhos da instituição local.

Já em outras plantas da empresa em Resende (RJ) e em Suape (PE), nas quais trabalham 150 colaboradores, além de repetirem a atividade de São Paulo, os funcionários também botaram a mão na massa para produzir itens a partir de materiais das unidades que iriam ser descartados e também sobras de tecidos de outras indústrias. Todos os produtos confeccionados nesse dia, como almofadas, foram encaminhados para organizações sociais da região. Até mesmo funcionários de áreas de vendas da empresa em outras regiões e estados distantes das fábricas também participaram do Responsib’All Day visitando restaurantes, bares e estabelecimentos comerciais para falar sobre economia circular, reaproveitamento e transformação de materiais, com divulgação, inclusive, de um drink assinado por um mixologista (especialista no preparo de bebidas e coquetelaria), feito a partir de cascas e matéria prima orgânica que seria descartada.

Segundo Sirley Lima, Diretora Jurídica e de Recursos Humanos & Sustentabilidade da Pernod Ricard Brasil, a realização do Responsib´All Day tem sido um sucesso, “desde 2010 ele representa uma das datas mais importantes para a Pernod Ricard e todos os seus funcionários no mundo. Desde a sua fundação, a empresa tem a responsabilidade social em seu DNA, com um mindset de que uma empresa tem que cumprir seu papel socioambiental, E esse é o grande legado que queremos deixar ao longo de todos esses anos. Ficamos muito felizes em poder atuar em prol de diversas questões relacionadas à sustentabilidade socioambiental”.

Quanto à edição de 2019, Sirley acredita que foi possível sensibilizar os colaboradores e parceiros para a importância e os significados da economia circular e da correta gestão de resíduos. “Por mais que a gente já faça campanhas ao longo do ano com esse foco, com o Responsib´All Day a gente consegue impactar de maneira mais objetiva. Isso porque todos os colaboradores estão focados naquela atividade. É completamente diferente do que falar com eles no dia a dia de trabalho, quando a cabeça, às vezes, está pensando nas entregas corporativas”, explica a diretora da Pernod Ricard.

Perguntada se parar a empresa um dia inteiro para atividades de voluntariado não acarreta prejuízo, Sirley Lima foi enfática, “Pelo contrário! Ter um dia inteiro dedicado por nossos colaboradores a um pilar fundamental da estratégia do negócio engaja, aproxima do campo e traz um senso de orgulho incrível. Ver a transformação que podemos fazer nos lugares e comunidades, desenvolvendo seus colaboradores e parceiros, protegendo o meio ambiente e compartilhando valor com todos, faz com que os nossos talentos se lembrem a cada ano do nosso propósito”.

De toda maneira os idealizadores do Responsib´All Day tem consciência de que o trabalho não pode parar, que é algo constante. “Um resultado muito positivo que enxergamos é que as nossas fábricas, por exemplo, possuem um índice de quase 100% de reaproveitamento e reciclagem de resíduos sólidos. Esse e outros esforços, quando se juntam, geram resultados importantes para toda a sociedade”, resume a executiva.

Além do Responsib´All Day, a Pernod Ricard Brasil também possui um programa de voluntariado que é ativo o ano todo. São mais de 61 funcionários-voluntários, que doam mais de 410 horas do seu tempo – no horário de trabalho. O grupo promove cinco iniciativas por ano. Uma delas, inclusive, contemplou a construção de uma biblioteca.

Nada melhor do que exemplos a serem seguidos em prol de benefícios comuns para todos como explica a consultora da Mosai&co, Rosângela Melato, “como indivíduos somos uma sociedade linkada somos pontos de uma rede e se um ponto dessa rede não se desenvolve a rede fica frágil. Devemos pensar voluntariado como um apoio dessa rede. Há programas para se aprender a ser voluntário e aplicar o voluntariado. Empresas gostam de contratar pessoas que tiveram experiências de voluntariado”.

Uma sociedade em que mais pessoas e empresas exerçam o voluntariado certamente será mais solidária, justa e socioambientalmente responsável.

(#Envolverde)

 
  Arquivo
12/07/2019
Diálogos Envolverde – Bioeconomia
28/06/2019
Diálogos Envolverde – Bioeconomia
02/05/2019
Municipalistas querem cidades produtivas e antenadas com o século XXI
04/04/2019
Inteligência artificial desperta fascínio e temor no Brasil, diz pesquisa
25/02/2019
São Paulo ainda patina no setor ambiental
21/02/2019
Do flagelo ao empreendedorismo: Encontro Nacional revela um semiárido brasileiro repleto de projetos inovadores
14/01/2018
No meio ambiente, a leve sensação de uma volta ao passado
12/12/2018
COP 24: Estamos trocando a realidade pela ficção
23/11/2018
A tragédia de Mariana em aberto
26/10/2018
O sol que castiga o sertão é realidade como fonte de energia na Paraíba
19/07/2018
Nossa vida não é feita de plástico: recuse canudos
16/07/2018
Gente que faz a sustentabilidade no dia a dia
12/06/2018
FICA 2018: Sons únicos do Passado e sua melancólica extinção
06/06/2018
Renováveis sim, Alternativos não!
18/05/2018
Novo milênio derruba alguns dos valores do século 20
17/04/2018
O assédio na América Latina e a reação das brasileiras
16/04/2018
Coordenadora do Limpa Brasil fala do problema gerado pelo lixo
13/04/2018
Biocicla mostra como ir do lixo ao luxo da transformação
22/03/2018
Rio Doce, um desastre anunciado e inovação na recuperação
08/03/2018
O mundo encantado dos youtubers
08/02/2018
Sinergias entre cidades e empresas apontam caminhos para o futuro
04/01/2018
Um ano realmente novo ou seguiremos na mesma batida da irracionalidade?
27/11/2017
Ação empresas contra o desmatamento é fator de proteção ao lucro
 

2011 ~ 2018 - EcoCanto21
Reinaldo Canto
Todos os direitos reservados - www.ecocanto21.com.br
23 usuários online

Desenvovido por Tecnologia